Imagem: fotomontagem de Emésio Neto

COCAÍNA OU VERA, BRANCA, DALILA...
 

Antes de tudo, se você perdeu as outras matérias da nossa série especial “Tudo o Que Você Sempre Quis Saber Sobre Drogas, Mas..”  veja aqui:
I_Parte
II_Parte

"Odeio cocaína, a maneira como as pessoas aspiram, o fedor do corpo de quem cheira. Odeio a cultura de economia ilegal que cresceu pelo consumo da cocaína. Da boemia, me interessam as pessoas".  (Caetano Veloso, 66, em ensaio para a edição de Maio da revista “Poder”)


Esta é a III Parte da Série. Vamos falar aqui sobre a dona cocaína, a primeira droga de que vamos realmente destrinchar tudo, ou quase tudo o que se sabe sobre a danada. Ela é uma das drogas mais usadas pelo povo da noite, além do álcool, claro, que é campeão; sendo que a cocaína é ilícita e mais cara. Sim: ainda vamos falar do álcool aqui.

E lá no final desta matéria você pode ver as perguntas que alguns leitores fizeram sobre cocaína, o Dr. RuyPalhano respondeu a todas. E se você ainda tiver alguma dúvida sobre cocaína ou sobre outra droga, envie para jornalismo@alexpalhano.com.br. A próxima droga que vamos falar nesta série será a Maconha.


Dizem que no Maranhão “A Branca” é bastante consumida porque São Luís seria uma das rotas do tráfico internacional. Não apuramos de fato ainda isso. Pode ser um mito, como há muitos no nosso Estado. Mas uma coisa é fato certo e comprovado: quando se trata de drogas que viciam bem rápido, a cocaína é uma das mais poderosas.

O que é?


A cocaína deriva da folha do arbusto da coca (Erytbroxylon Coca), do qual existem variedades como a boliviana (huanaco), a colombiana (novagranatense) ou a peruana (trujilense). A planta possui 0,5% a 1% de cocaína e pode ser produtiva por períodos de 30 ou 40 anos, com cerca de 4 a 5 colheitas por ano.

Essa substância possui propriedades estimulantes e é comercializada sob a forma de um pó branco cristalino, inodor, de sabor amargo e insolúvel na água. O pó é conseguido mediante um processo de transformação das folhas da coca em pasta de cocaína e essa em cloridrato.

Regra geral, a cocaína é consumida por inalação, mas pode também ser absorvida pelas mucosas (por exemplo, esfregando as gengivas). Segundo o site PSYCH CENTRAL, “Cocaína normalmente é inalada, mas também pode ser fumada (crack) e injetada (bem quentinha!). Nesses dois últimos, o efeito é mais forte e bem mais rápido”.

A cocaína é, por vezes, adulterada com o objetivo de aumentar o seu volume ou de potenciar os efeitos. Muitas vezes ela é misturada com lactose, medicamentos (como procaína, lidocaína e benzocaína), estimulantes (como anfetaminas e cafeína) ou outras substâncias. Além, claro de misturas bem “sujas” e absurdas como pó de mármore, óleo diesel, acetona e outras esquisitices, que sabe Deus o que é. 


Efeitos

A veia contrai, a pupila dilata e aumenta a pressão do sangue, ritmo cardíaco e temperatura do corpo. Ela provoca um aumento de neurotransmissores na fenda sináptica e um elevado estímulo das vias de neurotransmissão, nas quais a dopamina e a noradrenalina estão implicadas. É um estimulante do Sistema Nervoso Central, agindo sobre ele com efeito similar ao das anfetaminas. Essa substância atua especialmente nas áreas motoras, produzindo agitação intensa.

Apesar de ter uma ação intensa, o efeito da cocaína é breve (dura cerca de 30 minutos). O problema vem daí: dificilmente o usuário dá só uma “carreira”, cheiradinha ou um “teco”.  

Quando consumida em doses moderadas, a cocaína pode provocar ausência de fadiga, sono e fome. O indivíduo poderá sentir exaltação, euforia, intenso bem-estar e maior segurança em si mesmo, nas suas competências e capacidades. Por outro lado, os consumidores de cocaína costumam ser conhecidos pelo seu comportamento egoísta, arrogante e prepotente.

Ocasionalmente poderá ter efeitos afrodisíacos, aumentando o desejo sexual e demorando a ejaculação. Contudo, pode também dificultar a ereção. Em outra palavras: é brochante! 

As doses elevadas geralmente provocam insônia, agitação, ansiedade intensa, agressividade, visões e alucinações (as típicas são as táteis, como a sensação de ter formigas, insectos ou cobras imaginárias debaixo da pele). Ao bem-estar inicial segue-se geralmente cansaço, apatia, irritabilidade e comportamento impulsivo. Lembra como morreu o ex de Suzana Vieira?!
 
Riscos  

Os consumidores de cocaína podem sofrer, em longo prazo, de irritabilidade, crises de ansiedade e pânico, apatia sexual ou impotência, transtornos alimentares (bulimia e anorexia nervosa), diminuição da memória, da capacidade ou da concentração. Podem ainda experimentar a chamada "psicose da cocaína", similar à psicose esquizofrênica, com idéias delirantes, como mania de perseguição e alucinações auditivas e/ou visuais.

A nível neurológico, podem sofrer várias alterações como cefaléias ou acidentes vasculares como o enfarte cerebral. São ainda possíveis as cardiopatias (arritmias) e problemas respiratórios (dispnéia ou dificuldade para respirar, perfuração do tabique nasal).

Durante a gravidez, o consumo de cocaína pode ter conseqüências graves sobre o feto (aumento da mortalidade perinatal, aborto e alterações nervosas no recém nascido).

A quantidade necessária para provocar uma overdose é variável de pessoa para pessoa e depende bastante do grau de pureza da droga e da forma de administração (as probabilidades aumentam quando a substância é injetada na corrente sanguínea); a dose fatal encontra-se entre as 0,2 e 1,5 gramas de cocaína pura. As overdoses podem causar ataques cardíacos ou paragens respiratórias.
Tolerância e Dependência

A tolerância inicial desenvolve-se rapidamente quando o consumo é contínuo. Após a fase inicial, a tolerância não parece acentuar-se. De fato, os consumidores parecem experimentar o inverso: experimentam os efeitos da droga mais intensamente. Por vezes, a tolerância não é óbvia devido à mistura de cocaína com outras drogas.

A cocaína não produz dependência física, no entanto é a droga com o maior potencial de dependência psicológica (razão pela qual a chamam de “gulosa”). A curta duração dos seus efeitos induz facilmente ao consumo compulsivo, a chamada fissura.

Síndrome de Abstinência

A síndrome de abstinência não apresenta sinais físicos típicos mas tem alterações psicológicas notáveis: hiper-sonolência, apatia, depressão, ideação suicida, ansiedade, agitação, irritabilidade, confusão, surtos psicóticos e intenso desejo de consumo.

A GENTE MANDA A PERGUNTA E O DR. RUY PALHANO RESPONDE

Uma pessoa que cheira cocaína, 2 ou 1 vez por semana, ao todo menos de 1g,
pode ser considerado dependente, viciada? Ou essa quantidade pode lhe
causar danos reais?!

É um consumo razoável, porém não se pode afirmar que se trata de um dependente considerando que atualmente para se chegar a este diagnóstico exige-se a presença de outros sintomas ou sinais entre os quais a abstinência, que é o fato da pessoa passar mal quando não usa a cocaína, e a presença de tolerância, isto é, a pessoa tem que ir aumentando a dose da droga consumida de forma contínua.
Quanto maior for a quantidade da droga consumida, quanto maior for o tempo de uso, quanto mais impura a substância, quanto menor a idade de início de uso, e quanto maior for a freqüência de uso, maiores serão os danos médicos, psicológicos e sociais.

Por que quem cheira, bebe mais e não consegue ficar bêbado?

A cocaína é uma substância excitante do sistema nervoso centra, (cérebro), enquanto que o álcool é depressor deste sistema. Quando a pessoa cheira fica muito excitada e isso pode de certa forma incomodar, especialmente se usar grandes quantidades e em pouco tempo, e para aliviar o mal estar da excitação, o usuário bebe pois como o álcool e depressor reduz essa hiperatividade. Essa reação da coca também serve para impedir que a pessoa fique embriagada facilmente com o álcool já que a excitação provocada pela cocaína interrompe o processo de embriaguez.

Ela causa danos no fígado?!


Todas as drogas de abuso de certa forma prejudicam esse órgão especialmente por se saber que o fígado é um dos órgãos humanos responsáveis pela absoluta função de metabolizar as substâncias. Sendo assim o consumo de poucas ou grandes doses de cocaína acabam prejudicando o fígado.

Por que dizem que toda vez que se dá a primeira cheirada costuma dar “dor de
barriga”?

Sabe-se que a cocaína e outras drogas de abuso apesar de terem seus mecanismos de ação no cérebro, todos os órgãos e sistemas biológicos são afetados pelo uso de cocaína. O trato gastro intestinal não foge à regra e muitas lesões de estomago, inclusive câncer é provocado pela irritação provocada pelo uso dessa substância.

Por que ela inibe o apetite?

O controle do apetite e da saciedade é realizado por estruturas cerebrais (núcleos da fome e do apetite) encontrada em uma região do cérebro denominada de hipotálamo e como já dissemos a cocaína ao agir no cérebro altera todas as funções regidas por esse órgão. Alguns usuários chegam a perder muitos quilos na experiência com coca.

Por que todo mundo que cheira fala e só "pense em sexo"?! Dizem que todos
ficam excitadíssimos: mulheres ficam loucas pra fazer sexo e homens,
apesar de dizer que ela brocha, adoram transar "cheirando"... É mito ou é
verdade?!

A exacerbação da libido é uma das alterações funcionais entre usuários de cocaína. Ocorre que com o uso periódico e sistemático vai havendo uma disfunção nessa área de tal forma que passados alguns meses ou anos, há um declínio progressivo do interesse e do desempenho sexual, ao ponto da pessoa abri mão do sexo e ficar tão somente cheirando.

Quais são os riscos reais de overdose de cocaína?!

São muitos os risco de over dose, pois esse fenômeno é de difícil precisão pela quantidade de condições que estão inseridas neste fenômeno. Em geral o fato ocorre quando são substituídas abruptamente às quantidades da droga consumida inicialmente (doses baixas) por doses altas e isso acarretar uma incapacidade do organismo lidar com essa nova dose.

Qual é a relação de Freud com a cocaína?! Por que ele usava em seus
pacientes?!

Freud era um cientista e pesquisador e algumas experiências que fizera com cocaína estavam neste nível de pesquisa. Ele pessoalmente fizera uso também pelas mesmas condições, porém não se tem notícia que o mesmo desencadeara quaro de dependência. 

Para saber sobre a origem da cocaína clique aqui.

E pra saber sobre o Dr. Ruy Palhano acesse o site ruypalhano.com.br

 
rádio x

te joga!
Cadastre-se aqui que você só tem a ganhar: promoções, convites e loucurinhas...
Nome:
E-mail:

 
Busca